terça-feira, 3 de agosto de 2021

Risotto de Bacon e Cogumelos com Compota de Cebola Roxa

 Olá, :)

Que prato bom este. Risotto é aquele prato que nos reconforta e que nos abraça. Merece toda a nossa atenção e carinho.
Dos nossos pratos de eleição. Seja em que estação for. Sei que no Verão pode não ser tão convidativo estar ao fogão a mexer sem parar. Mas liguem essas ventoinhas porque este prato vale a pena.
Usei a compota que publiquei anteriormente e deu um toque tão especial. Claro que podem fazer sem ela. Mas façam!

Tenho no instragram (Clicar aqui para aceder) um vídeo no reels da forma como fiz todo o risotto. Passem por lá!



Risotto de Bacon e Cogumelos com Compota de Cebola Roxa

O que faz falta:
Para 2 ou 3 pessoas:
*1 tira de Bacon com 200 gr
*1 Cebola picada
*2 dentes de Alho picados
*150 gr. de Cogumelos frescos
*1 caneca de Arroz para Risotto
*800 ml de Caldo de Legumes
*Sal e Pimenta q.b
*2 colheres (chá) de Compota de Cebola Roxa e Vinho do Porto (opcional)
*1 colher (sopa) de Manteiga
*Queijo Parmesão q.b
*Salsa picada fresca

Como Fazemos:

Começamos por cortar o bacon em tiras. Fritamos o bacon até dourar num tacho. Retiramos o bacon e reservamos.

Na gordura do bacon, fritamos a cebola e os alhos. Juntamos o arroz e um pouco de caldo. Mexemos até absorver o caldo. Quando secar adicionamos mais caldo. Sempre assim até o arroz estar cozido. Quando o arroz estiver quase cozido juntamos os cogumelos e o bacon. Temperamos com sal e pimenta. Juntamos mais caldo e mexemos até o arroz estar cozido. Desligamos e juntamos a manteiga. Mexemos para envolver.

Servimos de imediato. Com queijo parmesão e salsa picada por cima.

Observações: Usem caldo de legumes. Pode ser caseiro ou de compra desfeito em água a ferver. Descomplicar. É importante usar arroz para risotto. Podem juntar o queijo ao arroz e não só por cima. Atenção à quantidade de sal. Porque o bacon e o queijo já têm sal.

Espero que gostem!
Um beijinho. Bons Cozinhados.
Sara🍀

quinta-feira, 22 de julho de 2021

Compota de Cebola Roxa e Vinho do Porto

 Olá :)

A receita que partilho hoje é um pouco fora do comum. Falo-vos de uma compota de cebola roxa. É uma delícia combinada com carnes grelhadas, salmão e com um bom queijo. 

Fiz esta compota porque há tempos comprei num supermercado algo do género por curiosidade e adorámos cá em casa.

Vou usar especificamente para uma receita que depois vou partilhar convosco se ficar bem. Mas enquanto faço e não faço vou comendo com um belo queijinho. 

O modo de preparação foi no Robot de Cozinha mas pode perfeitamente ser feita de forma tradicional como outra compota qualquer. 

Espero que gostem.


Compota de Cebola Roxa e Vinho do Porto

O que faz falta:

700 gr. de Cebolas Roxas

100 gr. de Manteiga

65 gr. de Açúcar Mascavado

1 colher (sopa) de Mostarda Dijon

1 pitada de Noz Moscada

1 pitada de Pimenta Preta

50 ml de Vinagre Balsâmico

150 ml de Vinho

1 colher (chá) de Sal grosso

Como Fazemos:

Começamos por descascar as cebolas e cortá-las em pedaços. Colocamos no copo do robot e picamos na função turbo do robot. Baixamos os pedaços da cebola das paredes do copo e picamos novamente se necessário.

De seguida, juntamos todos os restantes ingredientes e cozinhamos na velocidade 2 (no sentido inverso da lâmina se tiverem essa função) por 50 minutos a 120ºC.

Picamos por 1 minuto na velocidade 6 se gostarmos da compota mais lisa.

Transferimos para um recipiente hermético e conservamos fechado. 

Um beijinho. Bons Cozinhados. 

Sara.

segunda-feira, 19 de julho de 2021

Poke Bowl de Salmão

 Olá :)

O Verão combina com comidas refrescantes e sabores exóticos. É o caso desta receita. Aqui em casa todos adoramos este tipo de refeições. Coloridas, saborosas e fresquinhas.

As Poke Bowls vieram para ficar e a combinação de ingredientes é infinita. É só puxar pela criatividade e usar o que temos em casa.

Vamos lá saber o que a nossa Poke Bowl levou desta vez?


Poke Bowl de Salmão

O que faz falta:

Arroz cozido (usei basmati que era o que tinham em casa)
Cubos de Salmão
Manga em cubos
Pepino em fatias finas
Abacate em fatias
Cebola Frita (do lidl)
Sementes de Sésamo
100 ml de Molho de Soja
2 colheres de chá rasas de Mel
Sumo de 1 Limão

Como Fazemos:

Marinamos os cubos de salmão cru no sumo de limão (reservamos 2 colheres de sopa para o molho) e em 4 colheres de sopa de molho de soja (reservamos o resto para o molho). Deixamos descansar 10 minutos.

Depois é só montar. Todos os ingredientes devem estar frescos. Colocamos o arroz no fundo. Distribuímos o salmão, a manga, o pepino, o abacate, a cebola frita, as sementes de sésamo e reservamos.

Fazemos o molho. Envolvemos o molho de soja, com o sumo de limão e o mel.

Vertemos o molho no prato e servirmos fresco.

Um beijinho. Bons cozinhados.
Sara

sábado, 17 de julho de 2021

Lombos de Pescada gratinados com Maionese

Olá :)
Cá em casa somos amantes assumidos de maionese e não tanto de pescada. Sendo um peixe versátil e acessível ando sempre em busca de formas que o tornem mais apelativo aos nossos olhos.
Esta é uma receita simples e que leva poucos ingredientes. Perfeita para aqueles dias que queremos servir algo composto mas não nos apetece fazer nada super elaborado.

Algumas considerações sobre a receita. O peixe não deve cozinhar muito tempo para evitar que fique seco. Por isso e para gratinar mais facilmente num curto espaço de tempo é necessário elevar o tabuleiro para mais perto da resistência de cima do forno.

Se gostarem da cebola bem molinha e não a conseguirem cortar muito finamente façam o refogado num tachinho ao lume antes.

A maionese liberta algum liquido e por isso não abusem no azeite.

Espero que gostem! Até breve.

Lombos de Pescada gratinados com Maionese

O que faz falta para 3:

6 Lombos de Pescada

1 Cebola grande em meias luas finas

1 dente de Alho picado

1 fio de Azeite

Sal e Pimenta a gosto

Maionese q.b

Como Fazemos:

Começamos por temperar os lombos de pescada. No fundo de um tabuleiro  dispomos as cebolas e o alho. Por cima, colocamos os lombos. Barramos a superfície de cada lombo com a maionese.

Levamos ao forno, pré-aquecido nos 200ºC por 20 minutos num nível mais elevado do forno para gratinar.

Servimos a gosto.

Um beijinho. Bons Cozinhados,

Sara.

quinta-feira, 28 de janeiro de 2021

Mimos de Pescada com Broa

 Olá malta,

Aqui está uma receita simples, aromática e que certamente vai surpreender. Por aqui, adoramos broa. Para acompanhar um belo queijinho, para fazer umas migas ou para dar um toque crocante a uma receita como é este caso. A pescada foi o peixe escolhido. Confesso que não é o peixe que mais gosto. Mas os restantes membros cá de casa gostam muito por isso tenho sempre no congelador. Além disso é um peixe bastante versátil. Fiquei rendida a esta versão. Repetirei de certeza. 

Espero que gostem.

Um beijinho e Bons Cozinhados. 


Mimos de Pescada com Broa

O que faz falta:
8 Mimos/Lombos ou Tranches de Pescada
 Meia Broa de Milho
1 Cebola média
3 dentes de Alho
1 ramo de Salsa fresca
Azeite q.b
Sal e pimenta preta a gosto

Como Fazemos:

No fundo de um tabuleiro colocamos a cebola cortada em meia luas e um dente de alho picado. Regamos com um fio de azeite. Dispomos por cima a pescada. Temperamos com sal e pimenta preta.
Picamos a broa com a salsa e os restantes alhos. Regamos com um fio de azeite generoso e picamos mais um pouco. Distribuímos a broa por cima da pescada no tabuleiro. Levamos ao forno a 180°C por 20 minutos no nível do meio do forno. Assim conseguimos uma broa crocante e o peixe não vai cozinhar demasiado. 

Bolo Mármore de Iogurte

Olá malta,

Bolo Mármore! Um dos bolos mais tradicionais e mais apreciados aqui em casa. Este bolo tem todo um encanto. Cada fatia é uma maravilhosa surpresa pois o seu padrão nunca é igual. Existem muitas versões. Das mais fáceis às mais complexas. Esta é uma das mais fáceis. Combina o iogurte que dá sempre um toque incrível aos bolos com este toque de chocolate. Não posso negar. É um dos bolos que mais gosto. É bonito e fica bem em qualquer ocasião. 

Bora fazer Bolo Mármore?

Um beijinho e Bons Cozinhados.

Bolo Mármore de Iogurte

O que faz falta:
 
4 Ovos
3 chávenas (chá) rasas de Açúcar
1 Iogurte Natural
1 chávena (chá) de Óleo
3 chávenas (chá) de Farinha com Fermento
Meia chávena  (chá) de Chocolate em pó

Como fazemos:

Batemos os ovos com o açúcar e o iogurte. Adicionamos o óleo e batemos. Juntamos a farinha aos poucos. Retiramos um pouco de massa para um recipiente (cerca de uma chávena de chá bem cheia). Misturamos o chocolate em pó nessa porção de massa. 

Mesclamos as duas massas. A massa branca deve ser predominante. Com a ajuda de um garfo fazemos um efeito marmoreado. Levar ao forno a 180ºC por 35 a 45 minutos numa forma untada com manteiga e enfarinhada. 




Salada Grega

Olá malta,
Continuo em pausa aqui no blog. No entanto, há um bichinho que não me deixa ficar muito tempo longe daqui. Sempre que possa vou actualizando o conteúdo por aqui. Sendo que agora estou mais presente na minha página de instagram
Esta receita é fresquinha e bem aromática. Uma saladinha cai sempre bem. Seja porque queremos ter uma refeição mais saudável. Seja porque estamos com pouco tempo. É cortar todos os ingredientes e já está. O segredo é mesmo o molho que vai fazer toda a diferença. 

Espero que gostem.
Um beijinho e bons cozinhados.

Salada Grega

O que faz falta: 

Para a Salada
150 a 200 gr. Tomates Mini
 Meio Pepino
 1/4 Pimento Assado
Meia Cebola Roxa
Azeitonas Pretas
Queijo Feta a gosto
Para o Molho
100 ml Azeite
Vinagre Balsâmico a gosto
1 colher de chá de Mel
1 colher de café de Alho em Pó
Pimenta Preta a gosto
1 colher de café de Mostarda.

Como Fazemos:
Lavamos, arranjamos e cortamos os tomates ao meio. Descascamos o pepino e fatiamos finamente. Cortamos as cebolas em meias luas finas. Juntamos tudo num recipiente. Adicionamos um pouco de queijo feta. Misturamos tudo. 

Para fazer o molho, colocamos todos os ingredientes num frasco tapado e abanamos bem para emulsionar. Regamos a salada com o molho. Decoramos com mais um pouco de queijo feta e com as azeitonas pretas. Servimos fresca.

domingo, 4 de outubro de 2020

Até Já!

Quando comecei este blog, algures em 2010, não tinha grandes expectativas. Era um sítio de partilha e um hobby. Fomos crescendo. Passaram 10 anos. Muita coisa muda. Fiz muitas pausas e regressos por aqui. Neguei alguns projectos, aceitei outros. Mas sempre fui verdadeira. Aprendi muito com quem me seguia. Conheci pessoas novas. Algumas ficaram na minha vida. Sempre adorei este cantinho. Dediquei muito amor, muitas noites e sempre fui muito acarinhada. Lancei-me nas redes sociais, no youtube e sei lá mais no quê.
A verdade é que de momento, com todas as responsabilidades, não consigo manter o blog como gostaria. Sentar-me para escrever sem pressas, fotografar na melhor altura do dia e gerir tudo o que envolve um blog. 

Mas gosto demasiado disto para simplesmente deixar de o fazer. Depois de muito pensar no que fazer decidi criar uma página de instagram onde penso conseguir criar conteúdos e partilhas de forma mais natural. Onde a interação é mais direta e momentânea. Sei que vou sentir muitas saudades deste sítio. Já sinto! Mas de momento acho que é o que vai funcionar. Até então partilhava tudo na minha página pessoal mas acho que assim ficará mais organizado.

O blog vai continuar activo para consulta. O Youtube também. Quem sabe um dia consigo dar a volta a isto. Por enquanto seguimos no instagram com partilhas no facebook também.

Obrigado por acompanharem todas as aventuras por aqui. Se no ínicio pensei que só a minha mãe iria ler, hoje estou muito grata.

Um grande beijinho de até já. Espero por vocês noutras paragens. 




terça-feira, 7 de abril de 2020

Pão Chapata 100% Espelta

Olá amigos cozinheiros,
Que tal vai tudo por aí. Eu sei, andamos todos a fazer pão. E há mil e uma receitas apelativas por aí. Mas este pão é diferente. É feito com farinha de espelta unicamente. Com a alma de padeiros amadores que tem descido em todos nós a farinha de trigo tem sido mais escassa de encontrar, pelo menos por aqui. Então esta é uma opção alternativa e um pouco mais saudável. Fica um pão com uma crostazinha e um miolo macio. Tem um saborzinho característico e faz umas torradinhas deliciosas. 

Vamos lá? Libertar essas energias? Um grande beijinho. Até breve. 
Pão Chapata 100% Espelta

O que faz falta:
400 gr. de Farinha de Espelta (usei a Bio do Lidl)
1 Saqueta de Fermento Biológico Seco
1 colher de chá de Sal
250 ml de Água Morna

Como Fazemos:
Robot
No copo, colocamos a água e o sal. Amornamos a 37ºC por 2 minutos na velocidade 1. Juntamos a farinha de espelta e o fermento. Ligamos na velocidade 4/espiga por 4 minutos. 
Untamos um recipiente com azeite e transferimos a massa para o mesmo. Deixamos levedar por 1 hora e meia ou até dobrar de volume num sítio abrigado.
Aquecemos o forno no máximo com um recipiente refractário com água lá dentro. 
Moldamos o pão ligeiramente achatado e fazemos uns cortes com uma faca para decorar. Transferimos para um tabuleiro com papel vegetal e farinha no fundo. Baixamos o forno para os 200ºC e cozemos por 30 minutos. Retiramos do forno e deixamos arrefecer numa grade. 
Tradicional
Num recipiente ou numa bancada colocamos a farinha e abrimos uma cavidade ao meio. Juntamos a água morna, o sal e o azeite. Misturamos ligeiramente com as mãos ou com uma batedeira com gancho de massas pesadas. Adicionamos o fermento e amassamos bem, novamente com a batedeira ou com as mãos até obtermos uma massa bem ligada. 
Transferimos para uma taça untada com azeite, tapamos e deixamos levedar por 1 hora e meia ou até dobrar de volume, num sítio abrigado. 
Aquecemos o forno no máximo com um recipiente refractário com água lá dentro.
Moldamos o pão ligeiramente achatado e fazemos uns cortes com uma faca para decorar. Transferimos para um tabuleiro com papel vegetal e farinha no fundo. Baixamos o forno para os 200ºC e cozemos por 30 minutos. Retiramos do forno e deixamos arrefecer numa grade.

segunda-feira, 30 de março de 2020

Bifaninhas no Pão...um petisco para animar a malta!

Mais uma segunda-feira. Quantas vezes nos queixámos deste dia? E agora estamos nesta realidade. Alguns de nós a trabalhar a partir de casa, outros nem por isso. Por aqui estamos nas duas vertentes. Queria muito poder escrever sobre outra coisa mas nos dias que correm é dificil. É dificil não sentir uma angústia por mais pequena que seja. Temos uma bebé muito pequenina e penso muitas vezes que mundo irá ela encontrar quando crescer. Acho que ainda não percebe e ainda bem. Deve ser complicado explicar o que se está a passar aos miúdos. Se até para nós, adultos, é complicado de assimilar às vezes. E para nós, o mais desafiante nem tem sido estar em casa. Porque com uma Gabriela de 6 meses, a casa e o trabalho para gerir, os dias passam muito rápido. O verdadeiro desafio é estar longe dos nossos. Eu, por exemplo, nunca estive mais de duas semanas sem ver os mais pais. É um mal necessário bem sei. Mas o meu coração bate mais forte quando penso nisto tudo. Mas vamos passar à frente e vamos falar destas bifanas que vos trago hoje.

Quem não gosta de bifanas? Por aqui somos fãs. Apaixonados assumidos pela versão de Vendas Novas mas com um amor forte também pela versão à Moda do Porto. Somos como o Marco Paulo e temos dois amores que em nada são iguais e não temos a certeza de qual gostamos mais. 
A receita que vos trago hoje é assim mais a puxar para a versão à Moda do Porto. Não posso afirmar que são as autênticas mas que são inspiradas. O processo é simples. Um par de dicas e truques essenciais e teremos umas bifanas tenrinhas e saborosas. 

É obrigatório que as bifanas sejam cortadas em tiras muito finas para absorver todo o sabor. O pão em que as vão servir é quase tão importante como as bifanas em si. Por aqui usamos um pãozinho caseiro. Uma receita de papossecos que já tenho por aqui. Posto isto, as bifanas ficam melhores feitas com antecedência para descansarem e realçarem o real sabor. Um par de horas será o suficiente. Convém ser usada uma carne com qualidade. E sim, a receita leva muito álcool mas o mesmo vai evaporar, não se preocupem.

Guardem esta receita para um dia que não estejam de dieta porque vai ser dificil comer só uma. Talvez o próximo fim-de-semana ou folga? Dou-vos a receita atempadamente para planearem melhor a vossa petiscada. 
Por hoje é tudo, despeço-me com um beijinho de força para todos nós. Tenham juízo. Comam bem e cuidem-se!
Bifaninhas
O que faz falta para 6:
1 fio generoso de Azeite
500 gr. de Bifanas em tiras muito finas
5 dentes de Alho laminados finamente
2 folhas de Louro
1 colher sopa de Colorau ou Massa de Pimentão (funciona com os dois: usei massa de pimentão)
Sal e Pimenta a gosto
150 ml de Vinho Branco
200 ml de Cerveja
4 colheres sopa de Whisky
2 colheres sopa de Vinho do Porto
1 Limão Pequeno 
Picante a gosto (opcional)

Como Fazemos:
No fundo de uma frigideira, colocamos o fio de azeite, os alhos, o louro, a pimenta e o pimentão. Deixamos ferver um pouco o azeite até o alho largar o seu aroma. Juntamos as bebidas e o sal. Quando levantar fervura novamente, dispomos a carne e espalhamos de forma ficar bem separada. Adicionamos o picante, opcionalmente. Regamos com sumo do meio limão. A outra metade colocamos inteira na frigideira. Tapamos a frigideira e deixamos ferver em lume brando por 1 hora e meia a duas horas, vigiando de vez em quando. 
Depois é só servir num pão morninho ou ligeiramente torrado com o molhinho por cima.